Bio

 

Foto de Natacha Lopez

Alexandre de Jarém Indá Mandarino nasceu em 15 de setembro de 1970, no Rio de Janeiro. Aprendeu a ler pouco antes de fazer três anos de idade (alfabetizado por sua mãe e por quadrinhos da Marvel). Formou-se em Jornalismo em 1992 e trabalhou em vários órgãos do jornalismo cultural e de informática entre os longínquos anos de 1991 e 2005, quando largou as redações para escrever ficção, trabalhar como tradutor e fazer música eletrônica. Ao longo dos anos 00 e 10, teve publicados contos de mistério (A Aventura do Penhasco dos Suicidas), fantasia (Hiriburu, O Círculo de Ossos) e ficção científica (O Rabo da Serpente, Fast-Forward/Rewind). Seu conto original em inglês, The Eye That Ate the Sky, foi publicado na antologia de horror Miseria's Chorale, de 2013.
Mandarino também é o editor da revista bilíngue Hyperpulp, dedicada a divulgar os melhores autores que transitam pelas fronteiras entre "alta literatura" e a melhor literatura "de gênero" — e a demonstrar, como ele acredita, que estas fronteiras são apenas uma invenção.
Desde os anos 90 vem criando beats e samples com seus projetos musicais Chip Totec, Phunk Phreak e Terra Incognita. Em parceria com Leandra Lambert, ganhou o primeiro lugar no III Concurso Latino-americano de Composición Electroacústica Gustavo Bezerra-Schmidt, na edição de 2012, com a música Cortina de Ruínas.
Entre seus trabalhos de tradução constam as séries Discworld, de Terry Pratchett; Star Wars; e The Invisibles, de Grant Morrison, além de livros como Rei Rato, de China Miéville.
Em junho de 2016, Mandarino faz sua estreia como romancista com O Caminho do Louco, primeiro livro da trilogia Guerras do Tarot.

Foto de Lisiane Ramos

Você também pode encontrar Alex na web em: